Rodovias necessitam de R$ 183 bilhes em investimentos

Brasil Econmico – As informaes so da Agncia Brasil

Pedro Peduzzi

As rodovias brasileiras necessitam de R$ 183,5 bilhes em investimentos para dar conta das demandas atuais.

Braslia As rodovias brasileiras necessitam de R$ 183,5 bilhes em investimentos para dar conta das demandas atuais. Deste total, apenas 13% esto contemplados pela primeira verso do Programa de Acelerao do Crescimento (PAC), segundo o estudo Rodovias Brasileiras: Gargalos, Investimentos, Concesses e Preocupaes com o Futuro, divulgado hoje (24) pelo Instituto de Pesquisa Econmica Aplicada (Ipea).

Identificamos trs categorias de gargalos. A primeira, relacionada ao campo de recuperao, adequao e duplicao, a que mais demanda recursos: R$ 144,18 bilhes. Para construo e pavimentao sero necessrios outros R$ 38,5 bilhes. E a terceira categoria est relacionada com o que chamamos, do ponto de vista da engenharia, de obras de arte. Estas, que envolvem obras como pontes e viadutos, carecem de R$ 830 milhes, explica o coordenador de Infraestrutura Econmica do Ipea, Carlos Campos.

O PAC cobre aproximadamente 13% das demandas identificadas, e apenas 7% no que se refere a recuperao e duplicao de vias, avalia Campos.O programa um grande avano em relao ao que vinha sendo feito, que era praticamente nada. Mas ainda insuficiente em relao degradao que houve na malha rodoviria brasileira, em consequncia de 25 anos sem investimentos, acrescenta.

Segundo o pesquisador, 70% das obras do programa ligadas a rodovias esto com o cronograma atrasado. Parte dos atrasos da execuo fsica dessas obras justificada pelas paralisaes do TCU [Tribunal de Contas da Unio], acrescenta.

Campos explica que o estudo do Ipea s leva em considerao o PAC 1, que prev investimentos de R$ 23,3 bilhes entre 2007 e 2010. A segunda verso do programa prev investimentos de R$ 50,4 bilhes entre 2011 e 2014.

Campos chama ateno para a necessidade de ampliao e duplicao das estradas prevista para os prximos anos, em decorrncia do crescimento da economia. Isso, segundo ele, implica em aperfeioar o modelo de concesso de rodovias.

H inclusive problemas no sistema de contratos de concesso, que tm prazos de 25 anos e no preveem a ampliao da malha brasileira prevista para o perodo, avalia. Ele sugere que, para amenizar esse tipo de problema, o pas adote um sistema similar ao do Chile.

No modelo chileno, a empresa diz qual o total de receita necessrio para cobrir os investimentos e a manuteno, alm, claro, do lucro. Ganha quem apresentar a menor receita, e o contrato se encerra no momento em que a receita se iguala ao total previsto de custos e de lucro. Ou seja: o aumento da receita, aps a concesso, faria com que o contrato termine antes, explica.

Como sempre, as rodovias continuaro dependendo dos investimentos pblicos, que, reforados pelo PAC, tiveram crescimento superior a 500% entre 1999 e 2008, disse o pesquisador.

Ele acrescenta que apenas 15% das rodovias interessam ao setor privado. Se considerarmos que 9% da malha j est com eles, vemos claramente que h um teto [de investimentos privados] muito prximo ao quadro atual.

De acordo com o Ipea, h no Brasil 170 mil quilmetros de rodovias pavimentadas. Deste total, 61 mil quilmetros so de vias federais.

Segundo o estudo, os recursos destinados ao setor de transporte subiram, em termos proporcionais ao Produto Interno Bruto, de 0,38% em 1999 para 1,15% em 2008. Em termos de valor, isso equivale a um aumento de R$ 1,7 bilho para R$ 33 bilhes. No caso especfico do transporte rodovirio, o aumento mdio foi de 70%, passando de R$ 1,1 bilho para R$ 26,6 bilhes.

O estudo diz, ainda, que mais de 65% das estradas federais encontram-se em um estado entre deficiente e pssimo e que apenas 12% esto pavimentadas. Um retrato que, segundo Campos, no condiz com a importncia desse tipo de transporte, que responsvel pelo deslocamento de cerca de 60% das cargas transportadas nacionalmente.

24/05/2010

Pedro Peduzzi reprter da Agncia Brasil